26 de fev de 2010

Conto de fadas moderno

Era uma vez um conto de fadas dos tempos modernos, onde a cinderela não calçava 35, preferia sandálias gladiadoras invés de sapatinhos de cristal, e funk no lugar da tradicional valsa.
Quando se conheceram não foi amor a primeira vista, alias, tinham certeza que ficariam uma vez só, por simples, mas forte atração. Péssimos nas previsões, diga-se de passagem.
Não se passava num reino tão, tão distante. Ela tinha cabelos compridos, mas não costumava trançá-los. Ele se dizia corajoso, fazia academia e tudo mais, mas jamais enfrentaria o dragão da torre por ela. Ela não comera maçã envenenada, alias nem gostava de frutas, mas tinha grande afeto por “anões”. Não perguntava para seu espelho se existia alguém mais bonita que ela, era obvio que sim, e ela odiava perguntas obvias. Ela não sonhava em se casar ter filhos, e bordar enxoval. Ele queria aproveitar ao máximo sua solteirice, e depois casar e ter filhos. Homossexual pra ele não era homem ou mulher, era gay. Isso a tirava do serio. Não usava os lindos vestidos longos e maravilhosos, preferia short e regata. O esporte dele não era esgrima, ou a luta tradicional de espadas, mas sim o futsal. Não foi um “felizes para sempre”, mas um “felicíssimos enquanto durou” com direito até a um final feliz, mas nessa história, o príncipe e a princesa não terminaram juntos. Mesmo assim, não deixou de ser um conto de fadas.


Sharyel Toebe

Nenhum comentário: