5 de abr de 2010

Aos cacos

- Alô?

- Oi, sou eu. Nã...Não, fala nada não. Só me escuta.

(suspiro de nervosismo)

Pensei em milhões de pretextos pra te ligar. Como o de perguntar se minha chapinha ou aquele meu brinco dourado comprido tinham ficado ai. Pensei também na velha "desculpa, errei de numero" e puxar papo como quem não quer nada logo após. Mas é claro que todas iam ficar na cara. Você conhece meus trejeitos, como ninguém! Mentir não daria certo. Ah também, nem quero. Não tenho mais nada de valor a perder depois que você se foi. Esse na verdade é o assunto em questão: A sua partida.
Tudo aquilo que falei foi da boca pra fora. Draminha básico feminino. Tu sabes...Aquelas minhas TPM's de mês em quando que me deixam sentimental e egocêntrica. Enfim, tudo aquilo foi só pra dizer, ou melhor, gritar que eu queria teu abraço protetor e que me digas que esta comigo pro que for. Fiz-me em pedaços pra você juntar. Mas você não sobre ler minhas entrelinhas gritantes. Fez tudo ao contrario me deixou sozinha e quem me abraçou foi a solidão.
Pois é né... Liguei só pra avisar que ainda não me recompus, também não juntei todos os cacos e se quiser me ajudar, adoraria...

(silêncio tenso)

- Só se você me ajudar a juntar os meus.

Sharyel Toebe

Nenhum comentário: